Vai ser Normal?


É muito comum ouvir das pacientes que elas tem medo de parto normal, por isso preferem a cesariana. Acho super normal este sentimento e ele tem as mais variadas explicações. Algumas tem medo da dor, outras do “desconhecido”, umas acham que não saberão a hora de ir pro hospital, ou não vão reconhecer que a bolsa rompeu, ou que vão perder as forças e o bebê não vai sair… tem motivo pra tudo.

Acredito que estar grávida, por si só, já deixa as pacientes angustiadas. Mesmo não sendo o primeiro filho, é uma situação nova, de muitas mudanças e cheia de possibilidades. Às vezes optar pela cesariana parece ser a saída mais fácil para o desconhecido. Normal se sentir assim, mas acho válido conversar sobre as vias de parto ao longo dos 9 meses, pois ter conhecimento dos prós e contras do parto e da cesárea é importante para que elas façam a melhor escolha possível.

Eu, particularmente, tinha medo (ou melhor, receio) de precisar uma cesariana. Não gosto da idéia de ter uma abertura na minha barriga. Se desse para ser parto, melhor. Na verdade eu me preparei bastante física e emocionalmente para que fosse um parto normal. Também ficava pensando que minha “eletricidade” seria atrapalhada pelo pós operatório da cesariana e isso seria bem complicado de administrar.

Gosto bastante de conversar sobre isso com as pacientes, de saber da experiência delas com o parto, seja ele normal ou cesariana. Especialmente com aquelas que já viveram as duas situações. Estas têm vivência para opinar sobre as duas vias, depor a respeito de uma e de outra. Ainda assim, a experiência do parto, seja ele normal ou cesariana é muito particular. A emoção do nascimento de um filho mexe com as mulheres de uma forma muito especial, mas também pode ser traumática, dependendo de como você se preparou para este momento.

Já no início do pré natal eu tento conversar sobre as vias de parto, questionando sobre sua preferência e tentando buscar o motivos que levaram elas a esta ou aquela escolha. Em geral é um processo bem prazeroso, com prós e contras, com benefícios e prejuízos, com algumas surpresas e, na maioria das vezes, com elas dispostas a pensar, que eu já considero um avanço gigante. Especialmente quando a cabeça vem pronta para cesariana.

Algumas vezes as pacientes que tem idéia fixa em uma via, surpreendem-se quando se permitem experimentar a outra e “não é tão ruim assim”. Essas vivências são muito interessantes. Outras, mesmo em trabalho de parto, com uma dilatação promissora e a possibilidade de analgesia de parto não querem tentar e optam pela cesariana. Elas também precisam ser respeitadas, mesmo que nos cause frustração (já me frustrei algumas vezes).

Da mesma forma, já fiquei muito triste quando um trabalho de parto começa promissor, com uma atmosfera propícia, a família engajada e a paciente empolgada e, lá pelas tantas, sem mais nem menos as coisas mudam de figura e uma cesariana é necessária. Acontece, precisamos entender, só não podemos deixar que nosso desejo, ou o da paciente, por um parto normal confunda nossa capacidade de decisão.

Hoje em dia a internet nos propicia a chance de conhecermos os dois lados de uma forma bem detalhada. Conseguimos assistir videos de partos e de cesarianas, ouvir depoimentos de mães que passaram por um ou outro dos processos e também entrar em grupos de conversas com outras mães. Acho essas experiências super importantes, embora precisamos ter um filtro para não entender como 8 ou 80. Não existe a via perfeita para todas, existe a via que te deixará mais segura, com a qual o seu médico concorda e você fica satisfeita.

Não gosto muito de vídeos excessivamente detalhados sobre o nascimento. Algumas pacientes acabam se assustando com a riqueza de detalhes. Especialmente quando é um parto normal, daqueles bem naturais. A vivência de um parto é uma experiência incrível, mas também muito intensa. Na imensa maioria das vezes não deixa traumas, mas assistir um parto pode ser um pouco “assustador”. Ainda mais se você não conhece a paciente que está parindo e não tem como ter a opinião pessoal do processo enquanto vê o vídeo.

De qualquer forma, assistir um parto não é a única maneira de você “viver” a experiência do parto. Acho muito importante você estudar as vias de parto. Abrir a cabeça para o parto e para a cesariana. Ouvir as opiniões de amigos, grupos de mães, entrar em grupos de gestante. Assim você tem uma maior segurança para escolher ou então um maior tranquilidade para tentar.

Sempre tento convencer as pacientes a tentar um parto normal, ou pelo menos postergar a cesariana até o mais próximo possível das 40 semanas. Acredito que o parto seja a melhor via, salvo algumas situações que o contra indiquem. Ele pode não dar certo, a cesariana pode ser necessária, mas abrir a cabeça para tentar já me deixa bem feliz.

Um argumento muito recorrente é “e se eu tentar um parto e não nascer?” Algumas usam essa desculpa para fazer uma cesárea de cara. Elas tem medo de passar por todo o processo, sentir todas as dores e não dar certo. Infelizmente não tenho um bola de cristal e o processo de nascer é uma caixinha de surpresas. Às vezes uma surpresa não tão boa.

É importante entender o parto normal para encará-lo de uma forma mais fácil. Conhecer o processo, pesquisar sobre ele, estudá-lo, nos dá mais segurança e nos ajuda a optar pela via que melhor se encaixe com as nossas expectativas.

Por falar nisso, parto ou cesariana, a escolha não será fácil, nunca é, mesmo com hora marcada, cabelo feito e maquiagem. Ter um filho é sempre tenso. Porém, acredito que o desconhecido trazido por um trabalho de parto é o que mais assusta as pacientes.


Bem vindas!

Meu nome é Maria Fernanda, sou obstetra, mãe da Alice e aprendiz da maternidade. Sejam todos bem vindos ao meu blog!

 

Em 2015 eu vivi uma experiência incrível com a minha gestação. Estando do outro lado da cortina, pude entender melhor algumas dúvidas comuns entre as pacientes. Com isso, surgiu a ideia de fazer um blog. Através dele vou tentar fornecer informações que possibilitem uma gestação mais tranquila. Abordarei semanalmente assuntos baseados nas dúvidas do meu dia a dia no consultório e na minha vivência como gestante, puérpera e mãe. Recentemente eu decidi fazer postagens também com relatos de parto, para dividir as experiências vividas pelas mamães, contadas por elas.

Não esqueçam de deixar um comentário sobre o que acharam do blog, dúvidas ou sugestões para os próximos posts. Se acharem que as informações são úteis, compartilhem e sigam nossas páginas no instagram (@blogacaminho) e facebook (fb.com/blogacaminho).

 

Obrigada pela visita!

Compartilhe:
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Pinterest Social Icon
Mais lidos:
Tags:
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now