Vitaminas e gestação!


Quanto aos famosos suplementos vitamínicos indicados para gestantes, são super adequados, mas devem ser iniciados sempre com orientação do pré natalista. Nem todas as gestantes precisam começar no mesmo momento.

Por consenso, temos a suplementação de ácido fólico no primeiro trimestre e, se possível, 3 meses antes de gestar. Isso favorece o desenvolvimento do tubo neural e previne malformações do mesmo, reduzindo a incidência de anencefalia, alterações de formação do intestino e dificuldades no aprendizado na infância. As doses variam de acordo com a medicação escolhida.

Algumas pacientes questionam sobre alimentos ricos em folato, como aqueles de folhas verde escuras, porém este nutriente não é bem absorvido pelo organismo e não dispensa a necessidade de reposição. Alguns médicos optam por manter a suplementação até o término da gestação, para evitar anemia megaloblástica.

Além do ácido fólico, a reposição de ferro também está indicada para as gestantes. Embora ela possa iniciar primeiro trimestre da gestação, costumo avaliar as necessidades de cada paciente e, em geral, aguardo os exames do segundo trimestre (23 a 24 semanas) para iniciar a suplementação.

O sulfato ferroso traz alguns parefeitos, especialmente gastro intestinais, então eu não sou muito adepta a prescrever para todas as pacientes, indiscriminadamente. Em geral eu determino seu uso baseada nos hemogramas ao longo da gestação, sempre atentando para sua importância também no pós parto, para controle de anemia materna e suplemento para o bebê via amamentação.

É sempre importante manter o sulfato ferroso pelo menos por 30 dias após o parto. A dose varia de acordo com cada paciente, seu nível de anemia prévia ao parto e sangramento durante o mesmo. Em geral usamos 30mg de ferro elementar como profilaxia e aumentamos a dose de acordo com as necessidades da gestante ou da puérpera.

O uso de ômega 3 (200 a 300mg/dia) durante a gestação e na lactação, para melhora das funções visuais e da formação do sistema nervoso fetal está recomendada. A suplementação pode ser através do consumo de peixes 2 a 3 vezes por semana ou então de suplementos vitamínicos que contenham uma dose adequada de ômega 3.

A escolha do peixe precisa ser baseada na quantidade de mercúrio que ele contém e também na quantidade de ômega 3. Existem tabelas mostrando o tipo do peixe e as quantidades que ele contém de cada elemento. Às vezes, quando os peixes mais adequados não estão disponíveis, é melhor optar pelos suplementos.

A vitamina D também está bastante na moda nos últimos tempos. Sus deficiência pode causar dores musculares, aumento da reabsorção óssea e, em casos mais graves, fraturas. Sua suplementação é importante na gestação e fora dela, porém ocorreram algumas mudanças importantes nos níveis considerados adequados, deficientes e insuficientes. É importante ter noção dos valores de cada paciente antes de determinar um uso igual para todas elas. A maioria dos compostos vitamínicos específicos para gestação contém doses padrão de vitamina D, mas esta pode não ser suficiente.

Atualmente temos uma série de pacientes que gestam após cirurgia bariátrica ou então vegetarianas. Isso faz com que algumas delas tenham deficiência de vitamina B12. Precisamos avaliar seus níveis, especialmente nestas populações específicas, para que sua suplementação possa ser adequada. As anemias por deficiência de B12 não são comuns, menos ainda as alterações neurológicas, mas é importante manter níveis adequados para evitá-las.

Resumindo, é importante avaliar as necessidades de cada gestante para escolher a formulação mais adequada ou então o composto isolado que esteja faltando. Além disso, o tempo de início da suplementação também difere de gestante para gestante. No caso do ferro, é importante lembrar que, mesmo com níveis adequados, a profilaxia é importante, especialmente no 3ºT.

Também é preciso lembrar que todos estes compostos podem ser encontrados na nossa alimentação e uma orientação nutricional pode resolver o problema, sem precisar da medicação suplementar. Tentar solucionar o problemas com uma dieta saudável às vezes é melhor do que usar múltiplos comprimidos.


Bem vindas!

Meu nome é Maria Fernanda, sou obstetra, mãe da Alice e aprendiz da maternidade. Sejam todos bem vindos ao meu blog!

 

Em 2015 eu vivi uma experiência incrível com a minha gestação. Estando do outro lado da cortina, pude entender melhor algumas dúvidas comuns entre as pacientes. Com isso, surgiu a ideia de fazer um blog. Através dele vou tentar fornecer informações que possibilitem uma gestação mais tranquila. Abordarei semanalmente assuntos baseados nas dúvidas do meu dia a dia no consultório e na minha vivência como gestante, puérpera e mãe. Recentemente eu decidi fazer postagens também com relatos de parto, para dividir as experiências vividas pelas mamães, contadas por elas.

Não esqueçam de deixar um comentário sobre o que acharam do blog, dúvidas ou sugestões para os próximos posts. Se acharem que as informações são úteis, compartilhem e sigam nossas páginas no instagram (@blogacaminho) e facebook (fb.com/blogacaminho).

 

Obrigada pela visita!

Compartilhe:
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Pinterest Social Icon
Mais lidos:
Tags:
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now