Relato de parto - Priscila Prudente

 

No dia 13/12/16 à noite rompeu minha bolsa. Vivia comentando que o Valentim iria nascer na 10° cheia (14/12), nem acreditei quando rompeu a bolsa. A doula fez um chá e fui para o banho com a bola, luz baixa e música tranquila. Fiz agachamentos, caminhei e recebi pressão em pontos da mão. Fui para o banho novamente junto com meu marido. Recebi massagem com óleo de capim limão. Moramos em Porto Alegre e o parto foi em Novo Hamburgo, pois não encontrei médico humanizado na minha data provável de parto. Cheguei ao hospital pela manhã com 3 cm, estava ciente que iria ter que induzir. Comi um lanchinho leve e tomei suco. O GO veio e aumentou um pouco a ocitocina, as contrações apertaram bastante. Comecei a sentir a dor e ali me entreguei para ela e para aquele momento. Parir dói. Eu sabia que a cada contração meu filho estaria mais perto. Ali entregue a nudez do corpo e da alma, o instinto animal veio forte, senti a força de ser mulher! Neste momento me apropriei do meu corpo e sentia ele trabalhando. Perto dos 10 cm, a hora da covardia que eu havia lido estava chegando, comecei a duvidar da minha força. Fiquei tempo todo os olhos fechados, na partolândia. Me sentia muito cansada. Todos na sala repetiam que eu estava indo muito bem, que enxergavam os cabelinhos já. Tomei fôlego e comecei a empurrar, o círculo de fogo veio com intensidade, logo ele coroou. O GO perguntou ao meu marido se ele queria aparar o bebê, já que ele tinha manifestado interesse nas consultas, ele respondeu que naquele momento eu estava precisando mais dele. Às 16:21, após 22 horas do rompimento da bolsa o Valentim nasceu. A música que tocava dizia: "Não sei se o mundo é bom, mas ele ficou melhor, quando você chegou e perguntou, tem lugar pra mim?". O cordão parou de pulsar, meu marido cortou, veio para meu colo e mamou. Tive uma pequena laceração, não fiz epísio. Repito que parir dói, é a dor da transformação, ali morre a mulher que era antes e renasce uma nova.

 

Compartilhe
Compartilhe
Curtir
Please reload

Bem vindas!

Meu nome é Maria Fernanda, sou obstetra, mãe da Alice e aprendiz da maternidade. Sejam todos bem vindos ao meu blog!

 

Em 2015 eu vivi uma experiência incrível com a minha gestação. Estando do outro lado da cortina, pude entender melhor algumas dúvidas comuns entre as pacientes. Com isso, surgiu a ideia de fazer um blog. Através dele vou tentar fornecer informações que possibilitem uma gestação mais tranquila. Abordarei semanalmente assuntos baseados nas dúvidas do meu dia a dia no consultório e na minha vivência como gestante, puérpera e mãe. Recentemente eu decidi fazer postagens também com relatos de parto, para dividir as experiências vividas pelas mamães, contadas por elas.

Não esqueçam de deixar um comentário sobre o que acharam do blog, dúvidas ou sugestões para os próximos posts. Se acharem que as informações são úteis, compartilhem e sigam nossas páginas no instagram (@blogacaminho) e facebook (fb.com/blogacaminho).

 

Obrigada pela visita!

Compartilhe:
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Pinterest Social Icon
Mais lidos:

Complicar não significa OPERAR!

05/02/2020

1/5
Please reload

Tags: