Relato de Parto - Ana Carolina Kinalski


No dia 03/11 após saída da consulta com GO estava com 3 cm de dilatação. Na madrugada do dia 04 as contrações começaram alucinantes. Estavam de 10 em 10 minutos e assim foram até as 7h da manhã. Tomei um banho e caminhei um pouco pra ver se engrenavam e isso desregulou as contrações. Elas mudaram o ritmo. Vinham de 10 minutos, 5 minutos, voltavam a 12 minutos. E assim foi o sábado todo. No domingo fiz um map por conta da diabete gestacional e por ter chegado nas 39 semanas . Tudo normal. E as contrações ali de 10 em 10 min e 4cm de dilatação. E assim foram, doloridas durante o dia todo. O cansaço já tomava conta. Dois dias de contrações que não pegavam ritmo. As 23:30 de domingo a GO manda uma msg me indicando a fazer sessão de acupuntura para indução. No outro dia fiz a sessão às 10h da manhã. Depois disso, fui pra casa e fiquei 3h na banheira para relaxar. Às 13h as contrações começaram a ficar insuportáveis e ritmadas entre 6 e 5 minutos. Às 15h estávamos indo pro hospital com contrações de 4 em 4 min. A dor era terrível. Cheguei ao hospital com 8 cm de dilatação já, mas esgotada. Pedi anestesia. A Dra chegou junto comigo me avaliou e foi aplicada anestesia. Sem anestesia naquele momento eu nem cogitaria mais tentar ter parto normal que sempre foi o que eu desejei. Fui pro antibiótico porque era strepto positiva e mais ocitocina. E então por 2h já com dilatação total tentamos o parto normal. Mas a cada força a Julia não descia nada. Rebolei na bola a fim de que ela descesse mais mas nada teve efeito. Fiz toda a força que pude mas não conseguimos fazer ela nascer. Depois desse tempo tentando a GO verificou que não tinha mais o que fazer. Que precisaríamos partir pra cesárea. Ela me abraçou e disse que tínhamos feito tudo o que podíamos. Nesta hora o choque foi grande. Ficamos emocionados pois queríamos muito que tivesse dado certo o PN. Partimos então para cesárea e rapidinho ela estava nos meus braços sem maiores sofrimentos. Eu não tive plano de parto porque desde minha primeira consulta com a obstetra confiei nela e sei que ela não mediu esforços pra me ajudar no parto normal. Insistiu comigo até o fim. E eu agradeço a ela. Acredito que a confiança no obstetra é o primordial. Passei por toda a experiência de tentar um PN e não fui fraca ao aceitar a cesárea. Mas fiz pelo bem da minha filha. Quando engravidei uma amiga me disse que a partir daquele momento eu conheceria o verdadeiro amor e foi essa sensação que tive ao ver minha filha. E o mundo a partir daquele momento ficou absolutamente melhor.


Bem vindas!

Meu nome é Maria Fernanda, sou obstetra, mãe da Alice e aprendiz da maternidade. Sejam todos bem vindos ao meu blog!

 

Em 2015 eu vivi uma experiência incrível com a minha gestação. Estando do outro lado da cortina, pude entender melhor algumas dúvidas comuns entre as pacientes. Com isso, surgiu a ideia de fazer um blog. Através dele vou tentar fornecer informações que possibilitem uma gestação mais tranquila. Abordarei semanalmente assuntos baseados nas dúvidas do meu dia a dia no consultório e na minha vivência como gestante, puérpera e mãe. Recentemente eu decidi fazer postagens também com relatos de parto, para dividir as experiências vividas pelas mamães, contadas por elas.

Não esqueçam de deixar um comentário sobre o que acharam do blog, dúvidas ou sugestões para os próximos posts. Se acharem que as informações são úteis, compartilhem e sigam nossas páginas no instagram (@blogacaminho) e facebook (fb.com/blogacaminho).

 

Obrigada pela visita!

Compartilhe:
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Pinterest Social Icon
Mais lidos:
Tags:
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now