Anticoncepção e puerpério!


A maior preocupação da mulher ou do casal, quando estão tentando engravidar, são os períodos menstruais. Ficamos meio obcecadas com eles para avaliar regularidade do ciclo, depois queremos que eles não aconteçam mais. Um belo dia a menstruação atrasa, o beta HCG dá positivo, vem os 9 meses de gestação e as mulheres vivem um mar de flores, sem sangramento e sem TPM. Então nasce a criança e, se você está amamentando, sangra por alguns dias, ou muitos, ou meses (brincadeira, mas não tem como prever), e depois tudo para, tipo mágica e você começa a ficar paranoica - estou grávida ou ainda não menstruei? Quando vou sangrar de novo? Amamentar é 100% seguro? Pode engravidar amamentando?

Sim, pode engravidar amamentando. Aposto que todo mundo conhece alguém que engravidou na “quarentena”, ou então tem irmãos deste período. Por isso, é importante que seja feita uma revisão nos primeiro 30 dias após o nascimento, independente da via de parto. Quando é cesariana, acaba sendo mais óbvia a revisão, pois precisamos retirar os pontos, mas também é importante revisão o pós parto normal, mesmo que não aconteça nenhuma laceração.

Algumas paciente me perguntam sobre anticoncepcional antes mesmo da alta na maternidade, tamanho é o pânico de uma gravidez em cima da outra. Até acho que é um medo justificado, mas não há indicação de anticoncepção durante o período da quarentena, até porque a orientação é que não se tenha relação sexual neste período para que tudo retorne “ao normal”.

A amamentação por si só, colabora para o bloqueio do ciclo menstrual, porém não é adequando se utilizar somente dela como método anticoncepcional. Até porque, amamentação que bloqueia o ciclo menstrual é aquela exclusiva, sem nenhum tipo de alimentação complementar que possa interferir na produção do leite, mesmo que seja amamentação associada a fórmula láctea.

Hoje dispomos de uma série de meios para evitar a gravidez no pós parto, imediato ou tardio, a paciente pode escolher a vontade. Cabe ao pré natalista oferecemos todas as possibilidades e decidir, juntamente com as pacientes, qual é a melhor opção.

Na imensa maioria das vezes as pacientes optam pelos progestágenos durante o período de amamentação, que são aqueles que bloqueiam totalmente o ciclo. Lógico, sempre avaliando as condições de cada paciente. Os critérios de elegibilidade de cada método são infinitos, não posso colocar todo mundo numa mesma fila e sair dando a mesma medicação.

Podemos optar por métodos mais simples e menos invasivos como preservativos, pela via oral, injetável, ou então pelo implante intradérmico ou os dispositivos intra uterinos. Também existem métodos mais definitivos, como laqueadura tubária ou vasectomia.

Sempre que um método hormonal for escolhido é importante observar que, durante a amamentação, exclusiva ou não, é mais indicado usar somente a progesterona, que não interfere no processo. Os anticoncepcionais orais combinados (estrogênio e progesterona) não são indicados. Mesmo que você complemente com fórmula, eu sempre oriento que os progestágenos sejam o método de escolha.

Existem progestágenos orais, intra uterinos, injetáveis ou intradérmicos. Todos eles podem ser prescritos ou colocados em consultório, sem necessidade de um procedimento mais complexo. Independente da escolha, na maioria das vezes, eles levam a amenorreia (não menstruação), mas podem ocorrer escapes, que não alteram o funcionamento do método, mas conforme sua frequência/intensidade, é importante agendar uma avaliação ginecológica.

Quando a paciente opta por um método não hormonal é possível optar pelo preservativo ou pelo dispositivo intra uterino (T de cobre). Muito importante saber que você precisa usar preservativo durante toda a relação, em todas as relações. Não confie no tal período fértil, até porque no pós parto ele pode ficar meio bagunçado.

Quanto aos métodos definitivos, como a laqueadura, muitas pacientes questionam sobre a possibilidade de cesariana para que seja feito também este procedimento. Em geral não é possível. Fazer laqueadura durante a cesariana só é possível em situações bem específicas, sempre com consentimento informado e autorização da paciente e seu companheiro um bom tempo antes do procedimento.

Particularmente, não sou muito a favor de “soluções definitivas”, especialmente em pacientes jovens. Tenho algumas amigas e várias pacientes que “desistiram” da laqueadura ou da vasectomia depois de anos da realização do procedimento. É possível reverter? Sim. É simples? Não, é bem complexo. No consultório eu costumo orientar que, quando você optar por estes métodos, você tem certeza que não quer mais filhos. Não conte com a reversão. Lógico, não sou louca de deixar uma paciente com risco de vida, ou com problemas sérios de saúde, ou então que se encaixe nos critérios de elegibilidade, sem laqueadura só porque eu considero ela jovem demais. Apenas acho importante discutir outras opções, inclusive que a laqueadura seja feita em um outro momento e não junto com a cesariana.

Como em todas as situações relacionadas ao período gestacional ou ao puerpério, o importante é conversar, discutir com seu médico todas as opções de anticoncepção e ver aquela que mais se adapta ao perfil de cada paciente. Precisamos orientá-las e escutá-las, para que a melhor escolha seja feita, de preferência em conjunto, quando possível, com o casal.

Bem vindas!

Meu nome é Maria Fernanda, sou obstetra, mãe da Alice e aprendiz da maternidade. Sejam todos bem vindos ao meu blog!

 

Em 2015 eu vivi uma experiência incrível com a minha gestação. Estando do outro lado da cortina, pude entender melhor algumas dúvidas comuns entre as pacientes. Com isso, surgiu a ideia de fazer um blog. Através dele vou tentar fornecer informações que possibilitem uma gestação mais tranquila. Abordarei semanalmente assuntos baseados nas dúvidas do meu dia a dia no consultório e na minha vivência como gestante, puérpera e mãe. Recentemente eu decidi fazer postagens também com relatos de parto, para dividir as experiências vividas pelas mamães, contadas por elas.

Não esqueçam de deixar um comentário sobre o que acharam do blog, dúvidas ou sugestões para os próximos posts. Se acharem que as informações são úteis, compartilhem e sigam nossas páginas no instagram (@blogacaminho) e facebook (fb.com/blogacaminho).

 

Obrigada pela visita!

Compartilhe:
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Pinterest Social Icon
Mais lidos:
Tags:
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now