Cuide da gestante!

   A gestação é uma fase de mudanças. São 9 meses de muitas alterações físicas e psicológicas, algumas deixam marcas, outras, se mal manejadas, “mal cuidadas”, geram sofrimento, traumatizam. Precisamos evitar que isso aconteça. Precisamos cuidar das nossas gestantes, deixá-las à vontade nas consultas, seguras.

   É muito importante que o pré natalista seja da confiança da paciente (de preferência da família também), que ela se sinta segura nas consultas, tenha liberdade para fazer todas as perguntas que quiser e consiga chegar o menos ansiosa possível para a hora do nascimento.

  Diariamente vejo gestantes trocando de médico, nas mais diversas idades gestacionais. Isso não quer dizer que alguns são bons e os outros ruins. Quer dizer que não houve a confiança necessária, como dizem “o santo não bateu”.

    Embora comum, essa troca pode ser bastante complicada, dependendo da idade gestacional. Não é muito fácil você conseguir um obstetra que assuma seu parto quando a gestação está se encaminhando para o final. Por isso é importante vocês terem informações sobre o pré natalista escolhido, assim as chances de troca diminuem bastante.

    Às vezes o santo também não bate comigo e elas procuram outros colegas. A escolha do pré natalista é muito pessoal, depende muito do que a paciente espera da gestação, dos planos que ela tem para o parto, da influência da família, dos amigos, das redes sociais. O que realmente importa é confiar no pré natalista e se sentir “cuidada” por ele.

     Cuidar de uma gestante não significa que você precise virar amigo íntimo, responder mensagens as 3 da manhã, ligar todos os dias…. significa que você precisa estar atento para as queixas, para mudanças de humor, mudanças físicas, ouvir com atenção, prestando atenção. É muito importante que a paciente, e isso vale para todas, grávidas ou não, sinta-se segura na consulta. Caso contrário, ela sai de um médico direto para outro.

     No caso das grávidas, temos um agravante no que diz respeito ao cuidado. Elas estão muito mais sensíveis a opiniões externas e precisam sentir e saber que o pré natalista está atento as suas queixas, disponível para tentar aliviar suas angústias, mesmo sabendo que nem sempre isso é possível.

     Felizmente estamos num momento de livre acesso a internet. Existem grupos das gestantes que querem parto, das que querem cesariana, a velocidade com que acessamos as informações é gigante. Todo mundo consegue as respostas antes de conversar com o médico. Se não houver respeito e confiança, a consulta de pré natal se torna desnecessária.

    Um dos momentos que exige maior cumplicidade entre obstetra e paciente é o momento do parto, independente de ser cesariana ou normal. Hoje em dia está muito comum as pacientes terem um “plano de parto”. Acho ótimo, estimulo que todas façam, mas acho que o plano é mais uma intenção de como elas gostariam que as coisas acontecessem. Ele precisa ser discutido durante as consultas, pois se existir alguma mudança nos planos, a paciente precisa se sentir segura mesmo assim.

     Quando uma paciente escolhe o obstetra que irá acompanhar o parto, este passa a ser co-responsável por este bebê que está chegando. A gestante tem um participação crucial para que a gestação seja saudável e principalmente para que o parto dê certo, mas ela também precisa de tempo para enxoval, chá de fraldas, cursos de gestantes, yoga… O médico precisa dar a ela segurança para relaxar a pensar nessas outras coisas, confiando que sua gestação está bem cuidada.

     Um tema que eu acho cada vez mais importante é o famoso “vou ganhar com plantão”. Cada vez mais as gestantes e seus familiares questionam sobre isso. É preciso que elas se sintam seguras com o plantão. Entendam que o plantonista vai respeitar suas escolhas, entender suas angústias e acolhê-las com carinho e dedicação. Esse assunto também precisa ser discutido no pré natal, pois o médico assistente pode não ser adepto ao parto, ou então não estar disponível na data provável de parto e, ainda assim, a paciente tem direito de escolher ter um parto, humanizado, com todo carinho e cuidado que o momento merece.

      Numa era em que o parto normal está cada vez mais “na moda” (graças a Deus) é importante entender que, às vezes, o plantão consegue atender suas expectativas tão bem quando o médico assistente. Dependendo da época do seu parto, talvez ele consiga te dar um suporto melhor do que o seu médio, pois o plantão não tira férias, está disponível, 24h por dia, todos os dias. Então, quando o pré natalista não estiver disponível, não tenha medo, confie no plantão.

       Entrem em grupos de gestante, conversem com outras grávidas, com amigas mães, com conhecidas e desconhecidas que estão passando ou já passaram por este momento. Dividam com elas suas angústias e questionem sobre o processo de pré natal, parto e puerpério. Certamente a experiência de cada uma é única, não existe um modelo ideal, mas podemos ter algumas ideias para tornar o processo menos ansiogênico.

       A escolha do médico também é assim. Às vezes o ideal para sua melhor amiga não é ideal para você. Mesmo com as melhores referências, se o “santo não bater”, as coisas não vão funcionar.

    Além de tudo isso, a família e os amigos também fazem parte desta rede de cuidados. Eles são os mais próximos no dia a dia da gestante, precisam deixá-la segura. Milhares de questionamentos, alguns palpites desnecessários e más experiências podem não ser tão úteis. Precisamos cuidar disso também.

 

Compartilhe
Compartilhe
Curtir
Please reload

Bem vindas!

Meu nome é Maria Fernanda, sou obstetra, mãe da Alice e aprendiz da maternidade. Sejam todos bem vindos ao meu blog!

 

Em 2015 eu vivi uma experiência incrível com a minha gestação. Estando do outro lado da cortina, pude entender melhor algumas dúvidas comuns entre as pacientes. Com isso, surgiu a ideia de fazer um blog. Através dele vou tentar fornecer informações que possibilitem uma gestação mais tranquila. Abordarei semanalmente assuntos baseados nas dúvidas do meu dia a dia no consultório e na minha vivência como gestante, puérpera e mãe. Recentemente eu decidi fazer postagens também com relatos de parto, para dividir as experiências vividas pelas mamães, contadas por elas.

Não esqueçam de deixar um comentário sobre o que acharam do blog, dúvidas ou sugestões para os próximos posts. Se acharem que as informações são úteis, compartilhem e sigam nossas páginas no instagram (@blogacaminho) e facebook (fb.com/blogacaminho).

 

Obrigada pela visita!

Compartilhe:
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Pinterest Social Icon
Mais lidos:

Movimentação Fetal!

16/09/2020

1/5
Please reload

Tags:
Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now