Complicar não significa OPERAR!


Uma das perguntas que eu respondo quase todos os dias é: parto normal complica, ou pode acabar numa cesariana? Sim, às vezes complica e, eventualmente, vira uma cesariana. Obstetrícia é uma caixinha de surpresas. Na imensa maioria das vezes tudo acontece conforme planejado, de acordo com a fisiologia. Você tem uma gestação tranquila e dá tudo certo. Porém, é impossível você iniciar um pré natal dando certeza desta tranquilidade. Não temos como prometer que não haverá contratempos, nem potenciais mudanças de planos.

Embora a cesariana pareça ser a forma mais simples de evitar estes problemas (erroneamente vinculados somente ao parto normal) ou eventuais mudanças de planos, ela também pode não dar certo, e também pode complicar. Até porque, algumas mulheres já têm gestações de risco. O desfecho obstétrico não depende só da via de parto. Antigamente todo mundo nascia de parto. Não importava o peso do bebê, a sua posição, a estatura materna ou as suas condições de saúde. Isto aumentava muito os índices de morbimortalidade materna e fetal, por causas que hoje, felizmente, são evitáveis. Isso não significa que devemos super indicar cesariana. É importante buscar o máximo de informações e procurar uma equipe de assistência que vá ao encontro aos seus objetivos de parto.

Hoje temos muito mais condições de manejar um parto de forma segura, em ambiente hospitalar, com possibilidade de mudança rápida de planos em caso de necessidade. Conseguimos fazer diagnóstico da maior parte das patologias maternas com tempo suficiente para promover melhores cuidados e um tratamento adequado. Antecipando o nascimento quando necessário ou então fazendo um acompanhamento mais cuidadoso.

A maior parte das patologias fetais também são diagnosticadas durante a gestação. Isto possibilita tratamento precoce, algumas vezes ainda intra útero, ou então nos permite organizar um nascimento em local adequado e de forma mais segura.

Nos últimos tempos usamos esta facilidade de acesso a informação de forma equivocada. Usamos todo e qualquer resquício de problema para indicar cesariana, independente de quais sejam as evidências científicas. Ficou mais fácil, supostamente, fugir dos problemas fazendo uma cesariana do que fazer um manejo obstétrico adequado, promovendo um nascimento pela via de parto mais segura para a mãe e para o bebê.

É muito importante que as pacientes sejam orientadas quanto aos riscos e benefícios de uma cesariana e de um parto normal. Que as vias de parto sejam discutidas ao longo do pré natal e que elas possam tomar decisões embasadas em informações. A vontade da paciente deve ser respeitada, mas ela precisa ser orientada quanto às condutas, não induzida a um desfecho mais cômodo ou favorável às preferências médicas. Fugir das complicações não significa indicar cesariana para todas as pacientes com 39 semanas. Pior, não significa indicar cesariana tão logo surjam complicações.

A maior parte das patologias obstétricas tem como via de escolha o parto normal. Cesarianas de emergência/urgência não tem hora marcada, não tem aviso prévio e não tem como prever. As indicações absolutas de cesariana são raríssimas. Não podemos esquecer que, quando você tem uma patologia de base - problemas cardíacos, diabetes, alterações de circulação - e precisa de uma cirurgia, seu médico vai solicitar avaliação para que esta seja liberada. Ou seja, patologias de base aumentam o risco cirúrgico, simples assim.

Pense nisso quando você optar pela cesariana ao invés de uma indução de parto quando tem diagnóstico de diabete gestacional bem controlada ou por alterações da pressão, também controladas, ou ainda colestase hepática, ou mesmo quando as 41 semanas chegarem e for preciso induzir o parto, com colo ainda desfavorável.

Bem vindas!

Meu nome é Maria Fernanda, sou obstetra, mãe da Alice e aprendiz da maternidade. Sejam todos bem vindos ao meu blog!

 

Em 2015 eu vivi uma experiência incrível com a minha gestação. Estando do outro lado da cortina, pude entender melhor algumas dúvidas comuns entre as pacientes. Com isso, surgiu a ideia de fazer um blog. Através dele vou tentar fornecer informações que possibilitem uma gestação mais tranquila. Abordarei semanalmente assuntos baseados nas dúvidas do meu dia a dia no consultório e na minha vivência como gestante, puérpera e mãe. Recentemente eu decidi fazer postagens também com relatos de parto, para dividir as experiências vividas pelas mamães, contadas por elas.

Não esqueçam de deixar um comentário sobre o que acharam do blog, dúvidas ou sugestões para os próximos posts. Se acharem que as informações são úteis, compartilhem e sigam nossas páginas no instagram (@blogacaminho) e facebook (fb.com/blogacaminho).

 

Obrigada pela visita!

Compartilhe:
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Pinterest Social Icon
Mais lidos:
Tags:
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now