A Saga da Amamentação!


Essa foto é da minha primeira extração de leite na máquina, foi o teste para ver se daria certo. Lembro que fiquei muito orgulhosa com a quantidade, de primeira. Mal sabia eu que outra batalha estava só começando.


Quando engravidei, estava preparada para parir e amamentar, achando que seriam coisas fáceis. Em nenhum momento nas minhas longas 41 semanas de gestação eu me preocupei com a amamentação. Achei que seria um processo absolutamente fisiológico. Doce ilusão.


Nos primeiros 7 dias eu intercalei choros de fissuras e engurgitamento e perdi as contas de quantas vezes eu pensei “é assim mesmo?” Foi uma semana intensa, tensa e de muito aprendizado. Prometi que nunca, nunca mais julgaria quem não amamenta ou intercala com fórmula, ou mesmo reclama do processo. Hoje em dia eu tenho um olhar muito mais carinhoso e “aberto” com as pacientes que têm dificuldades na amamentação.


Isso não quer dizer que eu não ache o processo fundamental para o desenvolvimento da criança. Considero essencial que as pacientes amamentem, ou pelo menos tentem amamentar. O aleitamento materno, exclusivo ou não, traz benefícios para toda a vida da criança.


Depois que eu aprendi a amamentar - “peguei o jeito” - começaram as dúvidas se eu produzia leite suficiente. Talvez este seja o maior medo das mamães. Uma lata de fórmula dentro do armário, nunca usada, acalmou meu coração e me deu noites mais tranquilas. Se precisasse, estava ali.


Nunca ficou fácil, nunca ficou menos ansiogênico ou menos trabalhoso. Antes eram as dores, depois o medo de não ter suficiente e, quando voltei a trabalhar, veio a saga da máquina extratora, todos os dias, às vezes após todas as mamadas, para produzir mais e garantir um estoque adequado para a Alice. Levava ela para todos os lugares e dedicava uma parte da minha tarde para a retirada do leite.


Neste mês vamos ouvir falar muito de amamentação, vamos ver muitas fotos lindas e muitas histórias incríveis, mas gostaria que vocês que estão gestantes, amamentando ou que convivem com alguém nestas condições, olhem para este processo de uma forma menos romântica e mais real.


Amamentar é um ato de amor e doação, mas exige persistência e paciência, todos os dias, durante muitos dias. Quando você amamenta, doa boa parte do seu tempo e da sua energia para este processo. Se vale a pena? SIM, VALE CADA SEGUNDO, porém, não será uma tarefa fácil.


Respeitem o processo de amamentar. Não cobrem tanto das mamães. Tentem sem colocar do lugar delas, ou no lugar umas das outras. Algumas vezes é fácil, outras vezes não.

Bem vindas!

Meu nome é Maria Fernanda, sou obstetra, mãe da Alice e aprendiz da maternidade. Sejam todos bem vindos ao meu blog!

 

Em 2015 eu vivi uma experiência incrível com a minha gestação. Estando do outro lado da cortina, pude entender melhor algumas dúvidas comuns entre as pacientes. Com isso, surgiu a ideia de fazer um blog. Através dele vou tentar fornecer informações que possibilitem uma gestação mais tranquila. Abordarei semanalmente assuntos baseados nas dúvidas do meu dia a dia no consultório e na minha vivência como gestante, puérpera e mãe. Recentemente eu decidi fazer postagens também com relatos de parto, para dividir as experiências vividas pelas mamães, contadas por elas.

Não esqueçam de deixar um comentário sobre o que acharam do blog, dúvidas ou sugestões para os próximos posts. Se acharem que as informações são úteis, compartilhem e sigam nossas páginas no instagram (@blogacaminho) e facebook (fb.com/blogacaminho).

 

Obrigada pela visita!

Compartilhe:
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Pinterest Social Icon
Mais lidos:
Tags:
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now